Header Ads

Dado culpa concorrência e demora da regularização para o adeus de Ryan Williams

Meia inglês se despediu do clube há dois dias alegando problemas familiares


A camisa 21 do Paysandu está sem dono. Isso porque o meia Ryan Williams foi embora do clube durante o processo de renovação do seu contrato com o clube até dezembro deste ano de 2018. Um dos principais motivos para o adeus do inglês foi a falta de oportunidades para atuar. Em quatro meses no clube, foram apenas 20 minutos em campo. O técnico Dado Cavalcanti, porém, explicou porquê não lançou o jogador mais vezes.

Ryan foi anunciado pelo Bicola no dia 3 de fevereiro com um contrato de três meses, visando as disputas do campeonato paraense e da Copa Verde. A regularização dele para atuar profissionalmente no Brasil emperrou na burocracia e só foi concluída no dia 23 de março, na reta final das duas competições. A estreia dele só ocorreu no dia 19 de maio, durante 20 minutos do empate em 1 a 1 com o São Bento, na Curuzu. Foi a única aparição do meia!

Deparado com o tema, Dado lamentou a saída do jogador, valorizou o lado pessoal de Ryan e explicou a escassa participação do atleta em campo. 'Antes de tudo, a saída do Ryan foi lamentável para todo mundo. É uma pessoa espetacular, que só trouxe bons exemplos para nós. Investimos muito na condição dele e ele se adaptou de todas as formas, inclusive na culinária, já que se trata de uma pessoa vegana (não come produtos de origem animal). Treinou forte e não se machucou, mas teve que ser retirado de alguns treinamentos por conta do calor. A grande questão foi a demora na regularização dele', disse.

Dado detalhou o planejamento técnico para a contratação do jogador e como tudo isso fracassou. 'Ele veio para ser colocado no campeonato paraense e na Copa Verde para se adaptar ao futebol brasileiro e, principalmente, ao regional. A liberação para ele trabalhar no Brasil demorou muito e veio a Série B, que é um outro tipo de trabalho, um outro nível e uma nova adaptação. Somado a tudo isso, ainda tinha a questão da concorrência. Ele disputava posição com Pedro Carmona, Alan Calbergue, Cáceres, Danilo Pires... Acabou não tendo a possibilidade de jogar tanto', declarou.

Sobre o que provocou a saída do jogador, Dado adiantou que não foi somente a falta de minutagem em campo. 'Vem a questão da distância, de ficar longe de tudo o que é acostumado a viver, do que estava habituado. Fora isso, ele tem propostas mais vantajosas no sentido pessoal e acabou que vai nos deixar saudade', concluiu.

ORM
18/06/2018

Nenhum comentário

+ Lida da semana

Tecnologia do Blogger.