Header Ads

Após carreira feita toda em São Paulo, Nando ajuda Papão na luta contra Z4


Nando Carandina passou a carreira quase toda no futebol paulista, quase sempre no interior. Em 2017, o meia teve a primeira chance de deixar o estado e vem ajudando o Paysandu a afastar a ameaça do rebaixamento na Série B.

Os clubes na carreira de Nando no futebol paulista são muitos: de Taquaritinga ao Red Bull Brasil. O jogador conta, para a reportagem de oGol, que o caminho até conseguir destaque foi longo.

"Foi bem difícil, porque é um campeonato concorrido em São Paulo (o Paulista), às vezes a gente acaba jogando em divisões inferiores e não consegue espaço na elite. Minha estreia no Paulistão foi muito boa, estava no Rio Claro, em 2014. A gente quase conseguiu a classificação (ao mata-mata), que ia ser um fato raro para o clube. A partir daí, consegui ter sequência, jogar mais anos na elite e firmar o nome", garantiu.

O meia foi conseguindo estabelecer seu nome aos poucos. Conseguiu destaque em Rio Claro, mas foi pelo Red Bull Brasil que chamou mais a atenção de outras equipes.

"2016 foi a passagem que mais me marcou. A gente conseguiu a classificação e acabou eliminado pelo Corinthians nas quartas de final. A gente fez um campeonato muito bom, apesar de não ter jogado bem nas quartas", garante.

Primeira chance fora de "casa"

Após enfrentar uma estrutura algumas vezes complicada, com vestiários difíceis e até viagem no escuro, por falta de luz no ônibus, Nando teve a oportunidade de deixar o futebol do interior para defender o Paysandu na Série B.

"No começo, achei que ia estranhar, pelo fato de sempre ter jogado em São Paulo. Foi uma mudança brusca... Mas foi tranquilo, me adaptei rápido ao clube e a cidade. Apesar de ser muito quente, eu gosto de calor. O clube abriu as portas para mim e sou bem tratado. Quando você está jogando, fica tudo mais fácil. Apesar de o time não estar tão bem, quando você está jogando, fica bem mais fácil de adaptar", disse.

Já são 13 partidas pelo Papão desde que chegou de Campinas. Titular nas últimas rodadas, o atleta quer aproveitar a sequência para ajudar o Paysandu no principal objetivo do clube na Série B: evitar o rebaixamento.

"A gente queria coisas maiores, brigar lá em cima. Tem elenco para brigar para isso, mas as coisas não andaram como a gente pensou. Quando faltam sete jogos para acabar e a gente não conseguiu sair da zona incômoda, então hoje a primeira coisa é livrar o quanto antes e depois a gente pensa se dá para brigar por algo maior. Quem sabe? Se conseguirmos, melhor. Mas o primeiro passo é livrar o Paysandu do rebaixamento", analisou.

Nos próximos jogos, Nando já espera afastar o Papão do Z4 para o time respirar aliviado e, matematicamente, já não correr mais riscos de rebaixamento.

"Vamos ter dois jogos em casa. Estamos em uma situação não muito boa, mas ainda tem uma distância de três pontos para a zona de rebaixamento, para a Luverdense. A gente sabe que são importantes esses dois jogos para se livrar o rebaixamento. Acredito que, vencendo os dois jogos, que serão bem difíceis, dois times bons, a gente acaba livrando de vez (do rebaixamento). Bate a meta dos 44, 43 pontos, e acaba se livrando, que é o principal objetivo. A gente pegou o Paysandu na Série B, então a gente tem que deixar pelo menos onde a gente pegou".

Por O Gol
28/10/2017

Nenhum comentário

+ Lida da semana

Tecnologia do Blogger.