domingo, 23 de abril de 2017

Josué elogia dignidade do Remo e dispara contra Eduardo Ramos

Leão venceu o Independente por 3 a 1 e se classificou à final do campeonato paraense após uma sequência de 24 cobranças




Um dos protagonistas do Remo na temporada, o técnico Josué Teixeira voltou a ser o centro das notícias do clube neste final de semana após confusão 'aberta ao público' com o meia Eduardo Ramos em uma rede social. Classificado à final, o técnico foi categórico ao exaltar 'a dignidade' dos jogadores e voltou a falar rispidamente sobre o então 'Mito' do Leão.
O Remo desceu para o intervalo do primeiro para o segundo tempo perdendo por 1 a 0 e Josué contou como foi a conversa no vestiário. 'Pedi mais dignidade e respeito à torcida e a eles mesmos. Precisávamos de mais entrega e de mais ajuda entre eles dentro de campo. Deu certo!', falou e complementou: 'Na hora dos pênaltis, só pedi a Deus para que protegesse e iluminasse meus jogadores. A gente sempre espera que Deus vá interferir, mas o adversário também pede (Risos). Que bom que ganhamos e, agora, é preparar a equipe para o Re-Pa. Esse grupo de operarios dignos terá de mostrar valor de novo', frisou.
Sobre a preparação para o clássico na final do campeonato paraense, Teixeira respondeu de forma contundente acerca da possibilidade de ter Eduardo Ramos em campo. 'O Eduardo é um atleta do clube. Não posso dizer que ele vai ser utilizado, mas posso falar que o Flamel está em um estágio de recuperação mais avançado que ele. Espero, na verdade, que o jogador (Eduardo Ramos) tome um posicionamento. Ele faltou aos tratamentos e o primeiro passo é aparecer no clube para trabalhar e falar olhando nos olhos. Não sei quais os planos dele com tudo o que aconteceu, mas também não quero saber', declarou.
O comandante remista foi ainda além e disse que a mudança de postura também deve ser em que considera o meia como um ídolo ou uma referência do clube. 'O maior camisa 10 do Remo é o Mesquita, que foi digno em toda a carreira como jogador, parou por cima, se formou e é o agrônomo do Mangueirão. Ele, sim, é uma referência. Temos que pegar os bons exemplos para isso. Não pode se ter um ídolo que tem postura contra o clube. Precisamos profissionalizar o Remo e também passa por isso', concluiu.
O Remo se reapresenta nesta terça-feira (25) para treinamentos visando exclusivamente as finais do Parazão, contra o Paysandu, nos próximos domingos, dias 30 deste mês e 7 de maio. Teixeira adiantou que haverá mistério: 'Teremos treinos fechados e não tem nada a ver com torcida ou com a imprensa, mas precisamos de uma privacidade, porque é uma final muito importante para nós'.
Fonte: ORM
Nenhum comentário :

Nenhum comentário :

Postar um comentário

+ Lida da semana